Logo Cnj 
Logo Cnj 
Portuguese English Spanish
 

Moradores do bairro do Pinheiro, em Maceió (AL), entregam requerimento ao MPF

Recebidos por procuradoras da República, moradores relatam angústias e reclamações quanto à falta de informações do município de Maceió e do estado de Alagoas

 

Foto mostra as procuradoras da República do MPF em Alagoas sendo entrevistadas sobre a reunião ocorrida com os membros do movimento SOS Pinheiro

Procuradoras da República do MPF/AL recebem movimento SOS Pinheiro

Na tarde desta segunda-feira (21), representantes do movimento SOS Pinheiro estiveram na sede do Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas para protocolar representação, com abaixo-assinado, a fim de solicitar apoio na busca por soluções para as questões sociais e de responsabilidade envolvendo o tremor de terra ocorrido no bairro do Pinheiro e adjacências.

Cerca de 40 moradores, acompanhados de advogados, compareceram ao MPF e foram recebidos pela procuradora-chefe substituta Roberta Bomfim e pela procuradora Regional dos Direitos do Cidadão Niedja Kaspary. O documento protocolado será juntado ao inquérito civil nº 1.11.000.000649/2018-29, que hoje acompanha as ações do poder público voltadas à proteção dos direitos do cidadão.

Os moradores relataram suas angústias e reclamações quanto à falta de informações repassadas pelos canais oficiais da prefeitura e do estado, e pediram que o MPF atue a fim de que seus anseios sejam atendidos com maior diligência pelas autoridades públicas.

Pelo MPF, Roberta Bomfim esclareceu que, na última quinta-feira (17), em reunião com a Defesa Civil nacional, estadual e municipal, bem como, com os técnicos que estão estudando as causas que levaram ao aparecimento das rachaduras e fissuras no bairro do Pinheiro, foram apresentados estudos e laudos técnicos (ainda inconclusivos) quanto à causa dos tremores. E que o poder público municipal e estadual apresentaram as medidas preventivas que já vêm sendo adotadas. A procuradora demonstrou ainda o comprometimento da Instituição, que atuará, dentro de suas atribuições, no que for necessário.

Niedja Kaspary, procuradora da República atuando no inquérito civil que acompanha a proteção dos direitos do cidadão, reafirmou a disposição da Instituição em atuar para minimizar os danos aos cidadãos e informou que recebeu um documento da Federação das Associações de Bairro (Famecal) solicitando a adoção de algumas providências, como a requisição pelo MPF de documentos específicos ao Ministério de Minas e Energia e à Agência Nacional de Mineração, que podem contribuir com as investigações, e a realização de uma reunião com a participação da Braskem e da Federação.

Os moradores foram recebidos pelas procuradoras da República, mas elas não puderam estender a reunião, e, por isso, agendaram um encontro com uma comissão de moradores para quarta-feira (23), às 10h, na sede do MPF.

Matérias relacionadas:

MPF acompanha situação de tremor de terra em bairros de Maceió (AL)

MPF convoca reunião para tratar de ações públicas no bairro do Pinheiro, em Maceió (AL)

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Alagoas
(82) 2121-1485/9.9117.4361
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
twitter.com/mpf_al

Atendimento ao cidadão
(82) 2121-1400


 
Fonte: Ministério Público Federal

 
 

     

SENP, Quadra 514 Norte,
Lote 9, Bloco D
Brásilia - DF, 70760-544

 

  • (61) 2326-5000

SAFS, Quadra 2 Lote 3
Edificio Adail Belmonte
Brásilia - DF, 70070-600

  • (61) 3366-9100