Logo Cnj 
Logo Cnj 
Portuguese English Spanish
 

Na Justiça, testemunhas revelam tragédia em Brumadinho

Após dois dias de audiências, um total de 13 testemunhas de acusação indicadas pela Defensoria Pública do estado e pelo Ministério Público de Minas Gerais foram ouvidas pelo juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da capital, Elton Pupo Nogueira. Elas relataram detalhes no processo judicial que apura responsabilidades e consequências do rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro deste ano. A tragédia causou a morte de 248 pessoas. Outras 22 ainda estão desaparecidas.

Ontem, 5 de agosto, os moradores de diversas comunidades instaladas ao longo do Rio Paraopeba se emocionaram ao relembrar a tragédia, que envolveu parentes, vizinhos e amigos. Hoje, dia 6, especialistas de órgãos públicos ligados ao meio ambiente relataram ao juiz Elton Pupo Nogueira a dimensão dos danos causados pelo desastre. Outras testemunhas indicadas pelo Ministério Público ainda serão ouvidas em audiências nos dias 20 de agosto e 26 de setembro.

No dia 20 deste mês, será assinado termo de cooperação técnica elaborado por membros do Comitê Técnico Científico da UFMG. A universidade vai produzir pesquisas sobre as consequências do rompimento e propor soluções para os problemas encontrados.

Essa fase dos depoimentos de testemunhas, conhecida como instrução e julgamento, começou após a Justiça realizar 11 audiências de conciliação ao longo deste ano e condenar a mineradora Vale S.A., em decisão parcial do mérito.

Outras dez testemunhas já haviam relatado detalhes da tragédia em audiência na Justiça no início do mês de julho.

Acompanhe a movimentação do processo 5010709-36.2019.8.13.0024.

Fonte: TJMG

     

SENP, Quadra 514 Norte,
Lote 9, Bloco D
Brásilia - DF, 70760-544

 

  • (61) 2326-5000

SAFS, Quadra 2 Lote 3
Edificio Adail Belmonte
Brásilia - DF, 70070-600

  • (61) 3366-9100